FWC Group

Backup e Disaster Recovery: como a Cloud Computing contribui para segurança dos dados

Backup-Disaster-Recovery

Backup-Disaster-Recovery

 

Seus dados corporativos estão sob constante ameaças. Ataques cibernéticos, desastres, perdas devido ao mau funcionamento ou mau uso de hardwares são causas que podem comprometer sua empresa. Por isso, ter uma estratégia de backup e disaster recovery é essencial.

 

Isso, porque, qualquer minuto de inatividade pode causar a perda de clientes, oportunidades negócio e, claro, de receita. Portanto, não basta ter um plano de recuperação de dados. A solução adotada pela empresa precisa ser, acima de tudo, segura e rápida. Nesse sentido, a Cloud Computing tem muito a oferecer.

 

Confira a seguir como essa tecnologia pode ajudar as empresas a terem uma estratégia de backup e disaster recovery mais eficaz!

 

Disaster recovery: armazenamento seguro 

Para proteger seus dados, é preciso ter uma cópia de segurança armazenada em uma região geograficamente distante do seu Datacenter. Isso garante que, em caso de uma tragédia de grandes proporções, seus dados ainda poderão ser restaurados.

 

Essa recomendação, no entanto, nem sempre é seguida. Muitas organizações armazenam suas mídias de backup na própria empresa, expondo desnecessariamente seus dados ao risco de incêndio ou inundação.

 

Além disso, o tempo e o dinheiro que você precisa gastar para recriar podem ser caros demais. Não apenas em termos de perda de produtividade, mas também em termos de perda de receita e da confiança dos clientes.

 

Por outro lado, em uma estratégia de disaster recovery em nuvem, seus dados são transferidos para os servidores do provedor. Em seguida,  replicados em locais geograficamente distantes e seguros.

 

Dessa forma, não importa que tipo de desastre atinja sua organização, seus dados estarão seguros e poderão ser recuperados.

 

Backups: proteção de dados constante

Se um incidente acontecesse agora na sua empresa, você conseguiria recuperar integralmente todos os dados salvos nas últimas duas horas? Se você não contar com um solução em nuvem, provavelmente a resposta é não.

 

Pode parecer pouco tempo, mas você pode perder um dia inteiro de trabalho. Além disso, informações que não poderão ser recuperadas comprometerão a imagem de sua empresa.

 

Em soluções on premise, os backups acontecem no final do dia, para não comprometer o desempenho da rede e dos servidores. Dessa forma, muitas informações recentes podem ser perdidas, caso ocorra um incidente no meio do dia, por exemplo.

 

As soluções de backup e disaster recovery em nuvem resolvem esse problema. Transmitem automaticamente as alterações em arquivos e bancos de dados para os servidores do provedor de forma contínua ou programada.

 

Restauração rápida com backups

As organizações têm uma grande necessidade de dados em tempo real. Acessar desde arquivos de folha de pagamento e de clientes até e-mails e outros aplicativos importantes. Quando ocorre um desastre, você não pode se dar ao luxo de esperar horas e horas para recuperar seus dados.

 

Sua organização não pode arcar com o custo de tempo de inatividade, perda de receita e outras consequências. Por isso, é essencial contar com uma solução de backup e disaster recovery na nuvem. Asso, com ela é possível restaurar seus dados rapidamente. Tudo o que você precisa é de uma boa conexão com a internet.

 

Maior segurança

Backup-Disaster-Recovery

 

Com uma estratégia de backup on premise, além de se preocupar com os dados, você precisa salvaguarda das mídias físicas. Isso envolve o manuseamento, transporte para outras localidades e armazenamento em salas especiais.

 

Por maiores os cuidados, há sempre o perigo de roubo das mídias físicas, sem falar no risco de danificação.

 

Com uma solução de backup e disaster recovery baseada na nuvem, você não precisa se preocupar com essas questões.

 

Os melhores provedores de soluções em nuvem oferecem diversas ferramentas de segurança, tais como criptografia, VPN, firewall, antivírus, entre outras.

 

Além disso, ao usar um provedor de Cloud, como a FWC, você está aproveitando sua experiência em garantir a segurança na nuvem e em fornecer acesso ininterrupto a todos os seus dados. Você obtém vantagens competitivas significativas aproveitando a tecnologia, a infraestrutura e a escalabilidade mais recentes que uma solução de backup em nuvem pode oferecer.

 

Se você ficou interessado e deseja saber mais sobre o assunto, clique aqui e descubra o que a FWC pode oferecer para sua empresa em matéria de segurança na nuvem!

Implantação da Cloud Computing: o que considerar antes de migrar?

Implantação-da-Cloud

A maioria das empresas já estão convencidas dos benefícios da implantação da Cloud Computing em sua estratégia de negócios. No entanto, como era de se esperar, a migração para a nuvem não acontece da noite para o dia. É preciso muito planejamento para desenvolver uma estratégia que resultará em uma execução bem-sucedida.

Por isso, além de considerar a escalabilidade, flexibilidade, redução de custos e segurança, é preciso olhar para sua operação e infraestrutura. Em seguida, decidir quais aplicações migrar e definir como essa migração será efetuada.

A seguir, você irá descobrir os principais pontos a serem observados antes da implantação da Cloud Computing na sua empresa!

Escolha a nuvem correta para Implantação da Cloud

As nuvens públicas, privadas e híbridas apresentam benefícios distintos. Por isso, escolher a que melhor atende às suas necessidades de negócios é uma tarefa essencial.

Assim, antes de planejar a implantação da Cloud Computing, é preciso considerar qual modelo será adotado. Somente dessa forma é possível avaliar a melhor estratégia de migração e o funcionamento dos aplicativos no ambiente cloud.

Determine quais aplicações serão migradas para cloud

Embora a nuvem ofereça maior flexibilidade e escalabilidade, nem todo aplicativo precisa ser migrado.

Além disso, nem todas aplicações precisam ser migradas de uma vez.  É recomendável que você mova os aplicativos de menor risco ou aplicativos que aproveitam muito a elasticidade da nuvem.

Enquanto isso, você deve planejar como migrar aplicações mais complexas, como sistemas ERP e Banco de Dados.

Preveja como seus aplicativos serão executados na nuvem

Infelizmente, muitas empresas pulam essa etapa – e outras confiam em palpite ou em uma aproximação com base em dados incompletos.

Para entender como seus aplicativos funcionarão na nuvem, você precisa conhecer seu perfil de desempenho atual.  Além de saber como isso se traduz no desempenho dos recursos de computação e armazenamento do aplicativo em uma determinada instância.

Somente assim, poderá determinar os recursos que devem ser empregados na nuvem, bem como a capacidade de armazenamento e processamento adequadas.

Considere a segurança da Implantação da Cloud

À medida que as empresas optam pela implantação da Cloud, a depender do tipo de nuvem adotado, o ônus da responsabilidade e da segurança muda da empresa para os provedores de serviço em nuvem. Por isso, é necessário planejar possíveis violações, falhas do sistema e recuperação de incidentes.

Como o Gartner alerta, não assuma que os provedores de nuvem não são seguros, mas também não presuma que eles são. É preciso verificar como o provedor trata a questão da segurança. Além disso, verificar quais ferramentas são utilizadas e avaliar se elas são suficientes para garantir a proteção dos seus dados.

Escolha o provedor adequado para Implantação da Cloud

A escolha do provedor de nuvem é um passo fundamental para ser considerado antes da implantação da Cloud Computing. Fatores como segurança, suporte, monitoramento, desempenho e experiência são de extrema importância para que sua empresa alcance alto desempenho na nuvem.

Nesse sentido, a FWC se destaca no mercado. Com mais de 11 anos de atuação no mercado de tecnologia, a empresa conta com equipe especializada em Cloud, Database e infraestrutura.

A FWC Group disponibiliza atendimento 24x7x365, alto desempenho dos serviços oferecidos, segurança para seus dados, monitoramento, instalação e configuração rápida. Além de oferecer soluções customizadas com a necessidade de cada cliente.

A implantação da Cloud Computing pode trazer muitos benefícios para sua empresa, no entanto, para que isso seja possível, antes de mais nada, é necessário contar com um parceiro provedor de serviços que seja autoridade no assunto.

Como você pode ver, há muitos fatores que as empresas devem considerar antes de implantar a nuvem. Avaliar esses fatores irá ajudá-los a tomar as melhores decisões para seu negócio.

Agora que você já sabe os principais pontos a serem considerados antes de implantar a nuvem, que tal conhecer o passo a passo para uma migração sem esforços? Clique aqui e boa leitura!

Entenda os riscos do não cumprimento da LGPD em sua empresa

lgpd

 

Vivemos em uma era onde os dados são essenciais nas estratégias das empresas. Internet das Coisas, Big Data, Inteligência Artificial, são algumas das tecnologias que permitem a análise de dados para os negócios. Assim, visando normatizar a utilização de dados pessoais, em 2018, o Brasil adotou Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD).

 

Essa legislação fortalece as regras de proteção de informações para permitir aos indivíduos maior controle sobre seus dados pessoais. Por isso, as regras da LGPD entrarão em vigor somente em 2020. No entanto, é recomendável que as empresas comecem a entrar em conformidade com as novas regras desde já.

 

Isso, porque, a nova lei impõe mudanças quanto à coleta, ao processamento e ao armazenamento dos dados pessoais de usuários. Como consequência, o não cumprimento das novas regras pode impactar severamente no resultado e da sua empresa. Confira os principais riscos a seguir!

 

Multas pesadas

Violações dos princípios básicos da LGPD geram multas de até 2% da receita anual, limitado a R$ 50 milhões, por infração. Tal multa pode ser devastadora para a sua empresa!

As autoridades de supervisão considerarão vários fatores ao determinar multas ou outras consequências. Podem incluir a natureza da violação, os dados pessoais afetados, intenção ou negligência e o grau de cooperação com as autoridades.

 

Consequências adicionais do não cumprimento da LGPD

Embora as multas chamem a atenção, outras consequências da não conformidade com a LGPD podem ser tão prejudiciais quanto. Considere estas possíveis repercussões adicionais:

 

  • Danos à reputação – Quando os consumidores descobrem que sua organização teve um incidente de segurança, eles ficam cautelosos ao fornecer seus dados. – Mesmo que as autoridades de supervisão apliquem apenas uma advertência, com indicação de prazo para adoção de medidas corretivas, esse fato implicará na redução da confiança do consumidor.
  • Custo de controle de danos – Uma vez que um incidente tenha ocorrido, será caro conduzir investigações e implementar medidas de remediação.
  • Retira de certificação – As autoridades de supervisão podem exigir a retirada de uma certificação, caso sejam observados descumprimentos à LGPD.
  • Proibição de processamento – As autoridades de supervisão também podem solicitar uma proibição temporária para impedir que sua organização processe dados pessoais.
  • Responsabilidade por danos – De acordo com o Artigo 42 da LGPD, um indivíduo que tenha sofrido danos materiais ou imateriais como resultado de uma violação da referia lei pode reivindicar compensação tanto dos controladores como dos processadores de dados.

lgpd

 

Riscos na prática LGPD

A LGPD é implementada usando uma abordagem baseada em risco. Assim, isso significa que quanto mais dados você processa, mais abrangente precisam ser seus controles e seu programa de governança.

 

No Brasil, o Ministério Público e o PROCON agem firmemente na proteção dos dados pessoais. Tudo com base nas leis existentes e têm aplicado multas e conduzido termos de ajustes de conduta. A entrada em vigor da LGPD deve reforçar esta atuação.

 

Dessa forma, as empresas precisam estar atentas a essa realidade. Já que os riscos de proteção de dados pessoais não são teóricos e nem afastados do dia a dia das operações.

 

Os riscos do não cumprimentos da LGPD podem ter impactos legais, financeiros e de imagem muito grandes. Ignorá-los pode trazer consequências bem irreversíveis para a sua corporação!

 

Mitigando o risco de não conformidade com LGPD

Independentemente do tamanho da sua organização, reserve um tempo para colocar sua empresa em conformidade com a LGPD. Quanto mais transparente for o processamento de dados pessoais, melhor.

 

Primeiramente, você precisa entender quais são os requisitos da nova lei e depois determinar estratégias para entrar em conformidade.

 

A adoção de soluções em nuvem é uma excelente saída. Contrate um parceiro que siga as determinações de armazenamento conforme a LGPD. Assim, ao migrar seu Banco de Dados para a nuvem, você estará mais próximo da conformidade com as novas regras.

 

Agora você já sabe um pouco mais sobre os riscos do não cumprimento da LGPD. Se você gostou deste conteúdo, também irá gostar de saber como a nuvem pode ser uma aliada na segurança de dados da sua empresa.

Não deixe de entrar em contato conosco e descubra as soluções sob medida que podemos oferecer para sua empresa.

 

Por que a sua empresa deve transformar seu ERP em Web agora mesmo?

erp_web

erp_web

 

O gerenciamento das tarefas corporativas consiste em uma série de ações. Manter os processos alinhados, interligados e acessíveis é um desafio que exige tempo, dedicação e atenção dos profissionais. Com isso, alcançar o sucesso da execução dos processos nem sempre é possível. Por isso, a solução para esses e outros casos é investir em um ERP Web.

 

Um ERP Web permite aos profissionais executarem suas tarefas com maior agilidade, eficiência e segurança, mantendo as informações centralizadas. Além disso, elimina a necessidade de contar com uma série de sistemas para gerenciar processos diferentes. Assim, todas as informações ficam disponíveis em um ambiente de fácil acesso. Veja por que adotar um ERP Web.

 

Tipos de arquitetura de ERP

A arquitetura de ERP é dividida em dois tipos de sistemas: web based e client-servidor. O sistema web based é formado por um software que pode ser acessado pela internet por meio de um navegador. O navegador web é a interface do sistema.

 

Dessa forma, não é necessário fazer nenhum tipo de instalação na máquina para ser utilizado. Assim, esse sistema costuma ser utilizado por um grande número de usuários e não depende de uma máquina para ser utilizado. No entanto, o acesso pode ser feito através de qualquer dispositivo móvel.

 

O sistema client-servidor tem suas tarefas executadas em duas partes: servidor e client. Na execução de servidor, o sistema precisa se conectar com um banco de dados para se comunicar com os usuários, através de uma rede de computadores.

 

No entanto, na execução client, o sistema se comunica com um ou mais servidores para solicitar um serviço e aguarda sua resposta. Nesse caso, o computador precisa ter processamento suficiente para executar o programa. Além disso, exige um investimento maior em profissionais de TI, equipamentos e cabeamentos.

 

Assim, a principal diferença entre os dois sistemas é que o primeiro necessita de uma boa conexão de internet para ser utilizado, enquanto que o segundo utiliza rede local e não depende de internet.

 

Tipos de infraestrutura

O sistema ERP pode ser dividido em dois tipos de infraestrutura, que são on premises e cloud.

 

On premises

Os servidores on premises são hardwares físicos que são alocados em um ambiente da empresa.

 

Nesse local, é preciso ter controle da temperatura por meio de ar- condicionado. Isso é, necessário para evitar o superaquecimento das máquinas, que podem causar pane nos sistemas.

 

Além disso, precisam de apoio de nobreak para evitar instabilidades ou danos causados por picos e queda de energia repentina. Esses sistemas também precisam passar por backups frequentes.

 

Sistema Cloud

Enquanto o sistema cloud é baseado em nuvem, como o próprio nome já diz. Isso quer dizer, não depende de uma infraestrutura física e pode ser acessado a qualquer momento e de qualquer local, bem como dispositivo por meio de uma conexão de internet.

 

Para utilizar um sistema cloud, a empresa deve contratar um provedor que se responsabiliza pela infraestrutura, manutenção e qualquer ação de implementação ou atualização do sistema.

 

Algumas empresas já estão habituadas com seus sistemas on premises e acreditam que os recursos atendem o que precisam. Por esse motivo, não sentem a necessidade de migrar para um sistema cloud. Por outro lado, assumem que a mobilidade e a possibilidade de acessar o sistema de qualquer local e momento faz falta.

 

Nesse caso, não é necessário migrar de ferramenta. Assim, é possível contar com um sistema que transforma o ERP local da empresa em ERP Web.

 

FWC Connect: facilidade de acesso ao ERP Web

erp_web

 

O FWC Connect é um recurso que facilita o acesso às ferramentas oferecidas pelo ERP da empresa. assim, por meio dessa solução, é possível manter o sistema que já é utilizado pela empresa, mas ter as vantagens da segurança dos dados em nuvem, a mobilidade para utilizar o sistema de qualquer local e a acessibilidade por meio da web.

 

Veja quais são as vantagens de contratar o FWC Connect:

 

  • Acesso ao ERP de qualquer navegador, sem instalar aplicativo ou plug-in;
  • Aplicativo remoto fora do navegador web do usuário;
  • Conexão via tablets, iPad, Smartphones sem uso de aplicativos;
  • Personalização com a identidade visual da sua empresa;
  • Conexão por meio de credenciais, entre outros recursos.

O FWC Connect transforma o seu ERP local em uma solução web fácil de acessar e com mobilidade para ser utilizada a qualquer momento e de qualquer lugar. Conheça o recurso

 

VPN: Porque você deve usar uma e como escolher a melhor?

 

A mobilidade das relações de trabalho tem permitido que as empresas formem equipes com profissionais em todo o mundo. Não é mais necessário estar no mesmo escritório para acessar as informações e os dados da empresa. Nesses casos, a segurança deve ser redobrada. Por esse motivo, a VPN é um recurso tão necessário para as corporações.

 

A tecnologia permite que os profissionais acessem a rede da companhia com total segurança, protegendo os dados de vazamentos, ciberataques e outros riscos. Neste artigo, você vai descobrir como escolher a melhor VPN para sua empresa. Confira!

 

Por que a sua empresa deve usar uma VPN?

A VPN (Virtual Private Network) é um recurso de segurança que permite o tráfego de informações de forma privativa. O mecanismo permite que usuários em diferentes locais possam acessar a rede corporativa de forma segura.

 

Isso é possível, pois a VPN conta com diferentes ferramentas de segurança, como a criptografia, que codifica os dados de envio ou recebimento. Dessa forma, mesmo que um cibercriminoso consiga invadir a rede não conseguirá acessa e identificar quais são as informações que estão trafegando naquela rede.

 

O recurso é muito utilizado por pontos de conexão que precisam enviar e receber informações. É o caso de filiais e matriz, por exemplo, ou ainda de profissionais que trabalham remotamente. Independentemente de onde o usuário está, será possível acessar a rede corporativa.

 

Há também profissionais que trabalham alocados na empresa do cliente ou na rua, fazendo atendimentos. Nesse caso, em vez de sobrecarregar o dispositivo móvel com uma série de documentos e apresentações, a empresa pode hospedar esses materiais em sua rede e o colaborador acessa remotamente sempre que for preciso.

 

Como escolher a melhor VPN para a empresa?

O esse recurso torna a comunicação entre redes de dados mais segura. Com isso, podemos considerar que todas as VPNs são iguais e oferecem os mesmos benefícios para as empresas? Não. Existem diversos tipos e fornecedores de VPNs no mercado, o que faz com que o recurso não seja universal e ofereça as mesmas soluções.

 

Muitas empresas optam por utilizar VPNs gratuitas sem questionar os riscos que a ferramenta pode oferecer. É importante entender que o serviço é complexo,  que foi desenvolvido por alguém e precisa sofrer atualizações de segurança. Nesse sentido, qual interesse o desenvolvedor teria em oferecer o recurso de forma gratuita?

 

Veja a seguir quais são as características que uma VPN deve oferecer antes de contratar a sua.

 

Protocolo seguro da VPN

O protocolo PPTP foi muito utilizado no passado, mas hoje é considerado ultrapassado e não oferece segurança. Por isso, evite VPNs que utilizam esse recurso. Invista em um OpenVPN™ ou superior.

 

Queda no serviço

O ideal é contar com um serviço que ofereça garantias, caso alguma instabilidade aconteça. Por exemplo, se o serviço de VPN cair durante a sua utilização, o acesso não pode ser direcionado para uma conexão aberta, deixando suas informações desprotegidas.

 

Nesse caso, se o serviço não oferece uma alternativa, o usuário deve ser notificado e ter a opção de continuar navegando de forma desprotegida.

 

Registro de informações

Ao se conectar a um serviço de VPN, a empresa está confiando seus dados àquele recurso. Alguns fornecedores fazem o registro dos dados e outros não. Antes de contratar, verifique essa informação com o fornecedor e, caso o serviço armazene os dados da empresa, informe-se sobre onde as informações ficarão registradas.

 

Mobilidade

O uso de dispositivos móveis, como smartphones e tablets, já faz parte das rotinas de trabalho. Uma VPN deve oferecer suporte para esse tipo de acesso também. Do contrário, poderá limitar ou colocar em risco o acesso à rede da empresa.

 

Proteções oferecidas pela VPN

A VPN é um recurso que oferece segurança para o acesso à rede. Porém, assim como a maior parte das ferramentas, não evita que a empresa sofra com possíveis ameaças e ataques. A diferença está na forma com que esses riscos são tratados.

 

A VPN deve oferecer ferramentas adicionais de segurança, como proteções contra vírus e spyware, escaneamento de arquivos baixados etc.

 

A FWC oferece diversos recursos de segurança, como a VPN e conta com um serviço e conta com um serviço de firewall que atua como uma VPN. Dessa forma, protege o acesso à rede criando um bloqueio contra ameaças e ciberataques.

 

Além disso, o serviço da FWC conta com as melhores tecnologias do mercado, como Fortinet, Cisco entre outros.

 

Se você gostou desse conteúdo e quer saber mais sobre VPN, veja porque o recurso é imprescindível para sua empresa.

Entenda como um ERP financeiro na nuvem pode ajudar a sua empresa

erp financeiro

 

O ambiente de negócios de hoje é dinâmico e evolui em um ritmo acelerado. Para se manterem competitivas, as empresas precisam de uma configuração de TI moderna e flexível, que ofereça suporte à inovação e à transformação de negócios. Nesse sentido um ERP financeiro baseado em nuvem é uma solução essencial.

 

Com essa ferramenta, você pode padronizar suas principais operações de negócios em uma plataforma facilmente configurável. Assim, é possível garantir que todos os aplicativos tenham acesso a dados financeiros e operacionais precisos e atualizados, fornecendo uma estrutura sólida para eficiência operacional, inovação e transformação. Continue a leitura para saber mais!

 

Flexibilidade impulsiona crescimento inovador

Com a constante evolução tecnológica, as empresas precisam mudar constantemente. Se buscar uma nova oportunidade de crescimento requer a adoção de um novo modelo de negócios, é preciso encara este desafio.

 

No entanto, muitas vezes as empresas esbarram em uma infraestrutura de TI insuficiente para suportar essa nova evolução tecnológica. ERP legado tendem a ser rígido e inflexível.

 

Em vez disso, deve buscar uma solução flexível como um ERP financeiro na nuvem, que permite a rápida configuração de novos processos de negócios para dar suporte à inovação. Além disso, as soluções em nuvem alivia a infraestrutura local, visto que a maioria dos processos são executados nos servidores do provedor Cloud.

 

Seu ERP financeiro precisa estar preparado para o futuro

Todas empresas, de uma forma ou de outra, visam ao crescimento de suas operações. Por isso, seu ERP financeiro precisa ser escalável. Ou seja, ele deve ser capaz de suportar o aumento da demanda de processamento, de novos usuários, etc.

 

Com um ERP financeiro na nuvem, seus recursos podem ser dimensionáveis conforme sua necessidade. Ou seja, sua empresa pode acomodar facilmente o crescimento futuro.

 

Montar um ERP em servidor local, pode exigir novos hardwares para suportar atualizações ou novas funcionalidades e treinamento extensivo para colocar novos funcionários na mesma página com a equipe existente.

 

Visibilidade em tempo real para o crescimento transformador

Na era da globalização, os negócios estão sendo executados em vários locais e, portanto, cada vez mais empresas sentem a necessidade de colaboração em todos esses locais.

 

Por exemplo, imagine que você está viajando com previsão de chegada para o final do dia para uma filial da empresa que você trabalha, em algum país da América Latina. Enquanto os tomadores de decisão estão em outra cidade do Brasil. Em uma reunião, um dos diretores solicita informações financeiras atualizadas sobre determinado projeto. O que você faz? Aguarda o final do dia para ter acesso aos relatórios?

 

Uma solução de ERP financeiro na nuvem resolve facilmente essa situação. Ela pode ser acessada a qualquer hora e em qualquer lugar, basta que haja conectividade com a Internet e um dispositivo habilitado para acesso dos dados.

 

Isso significa que todos os departamentos da sua empresa podem ter acesso a informações essenciais em tempo real e, assim, reagir instantaneamente a mudanças nos negócios.

 

Maior produtividade para inovação

A mobilidade é o principal impulsionador do crescimento dos negócios. Um ERP financeiro na nuvem permite que as empresas mantenham-se atualizadas sobre a produtividade a qualquer momento.

 

Com o uso de várias tecnologias avançadas, como Iaas, Saas e Paas Internet das Coisas (IoT), etc., os executivos podem ter acesso a dados relacionados à utilização de recursos nas palmas de suas mãos.

Eles podem usar esses dados vitais para fazer inserção de dados em qualquer lugar, isso é essencial para acompanhar métricas financeiras, custos e identificar gargalos de produção ou ineficiência de processos.

 

Assim, esses dados são importante para garantir a produtividade aprimorada e reduzir o desperdício em toda a organização, impulsionando-a para um crescimento inovador e transformador.

 

Redução de custos

As empresas crescem e novos desafios surgem para a área de TI. A necessidade de mais equipamentos ou capacidade dos servidores é um deles. A compra desses recursos exigiria mais investimento, mas com a Cloud Computing você define o que e como quer aumentar, ou seja, somente o necessário.

 

Mesmo que a empresa precise de mais espaço na nuvem, os custos são menores se comparados com a ampliação de uma infraestrutura física.

 

Além disso, utilizando um ERP financeiro na nuvem, você sempre tem acesso às últimas versões e atualizações, sem pagar nada a mais por isso.

 

Você também conta com planos mensais, trimestrais, semestrais e anuais, o que permite que sua empresa escolha a opção que se enquadra melhor em seu orçamento. Assim, você tem liberdade para investir em outras tecnologias para impulsionar o seu negócio.

 

O papel fundamental do provedor de nuvem

Para desfrutar de todos os benefícios do ERP financeiro na nuvem, é preciso contar com um provedor de serviço em nuvem que ofereça infraestrutura e suporte adequados para que sua empresa tenha alta performance e segurança dos dados.

 

Nesse sentido, a FWC se destaca no mercado. Com mais de 11 anos de atuação, a empresa conta com um time de especialista em prover soluções em nuvem para organizações dos mais diferentes segmentos.

 

Além disso, a FWC é parceira de empresas provedoras de ERP financeiro na nuvem, como a Fortes Tecnologia. Juntas, elas oferecem soluções que são capazes de ajudar a sua empresa a alcançar melhores resultados.

 

 

Se você gostou deste conteúdo, também vai gostar de saber como a nuvem pode ser uma aliada na redução de custos de TI. Boa leitura!

Cloud Computing e IoT: por que as tecnologias unidas são ainda mais potentes?

IoT e Cloud Computing

IoT e Cloud Computing são tecnologias que trabalham para aumentar a eficiência das tarefas cotidianas e ambas têm um relacionamento complementar. Por um lado, a IoT é capaz de gerar muitos dados e, por outro lado, a computação em nuvem possibilita o transporte, processamento, armazenamento e segurança dessas informações.

Quando utilizadas juntas, elas são capazes de alcançar muitos benefícios, de forma a permitir o pleno desenvolvimento de suas soluções.

Continue a leitura para saber porque a união dessas duas tecnologias é mais benéfica para sua empresa!

Primeiramente, o que é IoT?

A Internet das Coisas (IoT), como o nome sugere, significa pegar as coisas do mundo e conectá-las à internet. Mas por que isso essa tecnologia é importante?

Quando algo está conectado à internet, isso significa que ele pode enviar informações ou receber informações, ou ambos. Essa capacidade de enviar/receber dados e executar comandos é o que torna as coisas inteligentes.

Ou seja, para ser inteligente, uma coisa não precisa ter super armazenamento ou uma super capacidade de processamento. Tudo o que ela precisa é se conectar a uma central de armazenamento e processamento e transmitir dados e/ou receber comandos e executar ações. E é aí que entra a tecnologia de cloud.

Produzir “coisas” conectadas e com poder de processamento e armazenamento torna a IoT muito cara e, em muitos casos, inviável. No entanto, ao construir dispositivos baseados em Cloud, esse desafio é facilmente superado. Entenda melhor a seguir!

ebook-tecnologia

O link entre IoT e Cloud Computing

Assim como a computação em nuvem é construída com base nos princípios de velocidade e escalabilidade, os aplicativos de IoT são construídos com base no princípio da mobilidade e da ampla rede de contatos.

Juntas, essas duas tecnologias são capazes de alcançar plenamente o seu propósito. Confira os principais casos em que IoT e Cloud Computing funcionam melhor em conjunto:

IoT e Cloud Computing: Escalabilidade

Os dispositivos IoT são capazes de gerar um grande fluxo de dados e, por isso, exigem uma grande capacidade de armazenamento. Nesse sentido, a nuvem é capaz de prover o quanto de espaço esses dispositivos necessitarem.

Além disso, muitos provedores oferecem a modalidade de Storage as a Service (SaaS), ou seja, os clientes pagam pelo espaço utilizado nos servidores. Dessa forma, não é preciso se preocupar como a capacidade de armazenamento, apenas com o bom funcionamento dos dispositivos.

IoT e Cloud Computing: Segurança e privacidade

Um dos grandes desafios da Internet das Coisas é lidar com a segurança dos dados coletados. Muitas vezes, estão em jogo informações confidenciais de usuários e, principalmente após o advento da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD), esse passou a ser um grande entrave para o desenvolvimento dessa tecnologia.

Utilizando IoT e Cloud Computing em conjunto é possível superar muitos desses obstáculos. Provedores em nuvem certificados são capazes de oferecer um alto nível de segurança de armazenamento de dados por meio de firewalls, antivírus, criptografia e configurações e infraestrutura adequadas.

Além disso, é possível obter segurança também na transmissão dos dados, por meio de criptografia de ponta a ponta e VPN.

IoT e Cloud Computing: Flexibilidade

Este é outro aspecto em que IoT e Cloud Computing trabalham bem juntas. Muitas vezes, os dispositivos inteligentes são utilizados em diversas localidades. Desta forma, não é conveniente depender de uma rede local para armazenamento e processamento, visto que demandaria muito trabalho a cada mudança de espaço físico.

Os dispositivos IoT que utilizam a nuvem não precisam de nada além de uma conexão com a internet. A cloud atua como uma ponte na forma de um mediador ou facilitador de comunicação. Ela possibilita que os dispositivos “conversem” tanto com as centrais de processamento como entre si.

Colaboração

A computação em nuvem também permite melhor colaboração entre os desenvolvedores, o que é a ordem do dia no campo da IoT. Ao facilitar o acesso remoto de dados, a nuvem permite a implementação de alterações e otimizações de forma rápida e fácil.

Esses são apenas alguns pontos em que IoT e Cloud Computing funcionam melhor unidas. Como você pode perceber, a nuvem é essencial para que a IoT alcance todo seu potencial.

Se você gostou deste conteúdo, não deixe de conferir nossas dicas essenciais para redução de custos de TI. Boa leitura!

Redução de custos em TI: É possível sem prejudicar o desempenho?

redução-de-custos-em-ti

 

A redução de custos em TI é uma estratégia comum nas empresas. Busca-se sempre que a organização seja capaz de produzir e entregar seus serviços com o mínimo de recursos. Na prática, nem sempre o objetivo é seguido, seja por falta de controle ou pelo receio de prejudicar o desempenho do negócio.

 

Ainda há muita crença de que a redução de custos em TI pode impactar negativamente na entrega de resultados. Com isso, muitos gestores acabam abrindo mão da contenção. Garantem a entrega, porém gastam muito mais do que o necessário. Neste artigo, mostraremos como é possível reduzir os custos em TI sem prejudicar o negócio. Confira!

 

5 formas de ter sucesso na redução de custos em TI sem prejudicar o desempenho da empresa

1. Avalie os sistemas utilizados na empresa

A transformação digital ajudou a inserir diversos sistemas no mercado, oferecendo recursos mais tecnológicos, eficientes, ágeis e econômicos. Porém, muitas empresas ainda utilizam softwares obsoletos que causam um impacto maior ao orçamento e não oferecem o potencial esperado.

 

Para isso, fazer uma análise desses sistemas ajudará a identificar quais são necessários e quais podem ser substituídos. Além disso, vai ajudar na redução de custos em TI e aumentar a produtividade, permitindo que atividades sejam automatizadas. Sistemas SaaS, por exemplo, ajudam a simplificar os processos, não influenciam no armazenamento das máquinas etc.

 

2. Proporcionar mobilidade de acesso

O home office estão se tornando cada vez mais comuns, principalmente em empresas de tecnologia. Assim, para que esses profissionais não sejam prejudicados pela falta de comunicação, a empresa deve garantir a acessibilidade fora da empresa.

 

Isso é possível com o uso de sistemas e bancos de dados em nuvem.

 

Esses recursos permitem que o colaborador acesse as informações da empresa de qualquer lugar, por meio de um usuário e senha. Além disso, caso enfrente alguma instabilidade na rede, a companhia pode liberar os profissionais para trabalharem de um coworking, por exemplo.

 

redução-de-custos-em-ti

 

3. Reduza o uso de equipamentos físicos

Quanto maior a empresa, maior é o seu centro de processamento de dados. Ou seja, esses ambientes costumam ser formados por uma série de equipamentos, onde as informações e toda operação da companhia são gerenciadas. O tráfego de dados nesse ambiente é alto, por isso esse deve estar sempre refrigerado, garantindo que a operação será mantida.

 

Tudo isso gera um alto custo para a empresa que precisa fazer manutenções periódicas nos equipamentos. Além disso, precisa arcar com despesas de refrigeração do ambiente e manter uma equipe pronta para lidar com a situação.

 

Grande parte dessa estrutura pode ser substituída pelo armazenamento em nuvem. Assim, não depende de um ambiente físico, pode ser facilmente acessado e controlado, além de mais econômico.

 

4. Invista em Cloud Computing

A Cloud Computing auxilia a empresa na simplificação e na redução de custos em TI de forma geral. Como resultado, esse recurso oferece mobilidade para a companhia, diminui o espaço utilizado para o armazenamento de máquinas, reduz as despesas com a contratação e atualização de softwares etc.

 

A solução permite que a empresa armazene suas informações com maior segurança, pois estarão hospedadas em um ambiente protegido. Ou seja, os backups são realizados de forma automática e frequente, sem depender da intervenção de um profissional.

 

Além disso, a companhia decide quanto pretende usar de espaço e pode aumentar ou reduzir seu armazenamento conforme a necessidade.

 

5. Adote a terceirização como uma prática de redução de custos em TI

A terceirização costuma ser vista como uma estratégia que gera mais custos para a empresa, porém quando outros pontos, além do valor pago, são avaliados chega-se à conclusão de que é um investimento.

 

Ao contratar um prestador de serviços, a empresa elimina a preocupação de ter que lidar com uma série de fatores, entre eles o funcionamento de sua operação. Assim, o prestador de serviços pode ser acionado sempre que uma instabilidade for identificada, ficando responsável por resolvê-la.

 

Além disso, outro benefício é a experiência que esses profissionais costumam ter, lidando com questões críticas de forma ágil e eficiente.

 

A FWC é uma prestadora de serviços especializada capaz de ajudar a sua empresa com a redução de custos em TI. Veja como a Tiisa se beneficiou dessa parceria.

Recuperação de desastres: a sua empresa está preparada?

recuperacao-desastre_homem

 

O que você faria se sua empresa fosse vítima de uma inundação, incêndio ou de ciberataques, como ransomware? Todos esses são desastres em potencial para um negócio, e sua empresa precisa estar preparada para responder de forma rápida. Qualquer um desse tipo de incidente pode ser capaz de tirar empresas de operação para sempre. Além disso, podem gerar a perda financeira para aquelas que não possuem um plano de recuperação de desastres adequado.

 

Muitos especialistas defendem que não é uma questão de “se”, mas “quando” irá acontecer algum desastre que afetará seu negócio. Por isso, é importante que você se perguntar, ao menos, o seguinte:

 

    • Minha empresa possui uma solução de recuperação de desastres?
    • É confiável?
    • Em qual periodicidade preciso efetuar backup?
    • Quanto tempo eu preciso para restaurar o backup?
    • Por quanto tempo meu negócio pode ficar “fora do ar” e sobreviver?
    • Qual é o custo financeiro do tempo de inatividade para o meu negócio?
    • Quando ocorrer um desastre, existe uma cópia fora do local?

Assim, se conseguir responder todas essas perguntas de forma assertiva, então sua empresa está minimamente apta para lidar com um desastre. Caso contrário, você precisa começar a se preocupar agora mesmo. A seguir, confira algumas dicas de como se preparar para recuperação de desastres!

 

Avaliação de riscos na recuperação de desastres

Uma avaliação de riscos é uma parte importante do planejamento de recuperação de desastres e de continuidade de negócios. Por isso, consiste em um documento que descreve ameaças potenciais que sua organização enfrenta, sejam elas naturais e/ou feitas pelo homem.

 

Essas ameaças são avaliadas pela probabilidade de ocorrência e multiplicadas pelo efeito na operação. Sendo assim, o resultado é um valor que você pode usar para determinar seu nível de proteção contra uma ameaça.

 

No entanto, sua avaliação de risco deve incluir possíveis danos que os eventos possam causar, a quantidade de tempo necessária para restaurar operações e medidas preventivas ou controles que possam reduzir a probabilidade de ocorrência desses incidentes.

 

Backup de dados

Os dados de sua empresa podem ser perdidos, corrompidos, comprometidos ou roubados por falha de hardware, erro humano, hacking e malware. Como consequência, a perda ou corrupção de dados pode resultar em interrupção significativa do seu negócio, o que se traduz em importantes perdas financeiras.

 

Por isso, o backup e a recuperação de dados devem ser parte integrante do seu plano de continuidade de negócios e do plano de recuperação de desastres.

 

O desenvolvimento de uma estratégia de backup de dados começa com a identificação de quais dados que precisam ser preservados. Depois, você precisa decidir qual estratégia será adota, local ou na nuvem.

Saiba mais sobre segurança aqui!

 

reducao-custos-segurança

 

Recuperação de desastres: local x nuvem

O backup em nuvem e local serve a mesma função de gerenciamento de dados, que é vital para todas as organizações. No entanto, a solução em nuvem oferece vantagens que precisam ser levadas em conta, tais como:

 

    • Escalabilidade. A nuvem é ilimitada em relação à capacidade de dados que você pode armazenar e restaurar. Além disso, essa flexibilidade garante que sua empresa sempre terá suas necessidades atendidas, independentemente do volume de dados.
    • Recuperação rápida. O armazenamento em nuvem é um método externo que armazena dados longe do alcance de calamidades naturais que podem destruir seus dados. Assim, o backup online garante a segurança dos dados e permite a rápida recuperação dos negócios em caso de incidentes.
    • Acessibilidade. Ao usar o backup na nuvem, você tem a garantia de disponibilidade rápida de dados sempre que precisar, pois as informações estão disponíveis online. Então, você poderá acessá-los em diferentes dispositivos, em qualquer lugar, de forma rápida e fácil.
    • Segurança. Se você utiliza backup local precisa se preocupar com questões adicionais como roubo ou danos das mídias físicas. Além disso, é preciso contar com um local para armazenamento fora das dependências da empresa. Por outro lado, se você contar com um provedor de backup em nuvem, não será preciso se preocupar com essas questões, pois seus dados serão armazenados em servidores externos, que atendem a rigorosos padrões de segurança.
  •  

recuperacao-desastre_homem

 

Recuperação de desastres ideal

Como você pode ver, o backup é essencial em qualquer estratégia de recuperação de desastres. Atualmente, a solução em nuvem tem se mostrado muito mais vantajosa para as empresas. Para contar com todos os benefícios, você precisa contratar um provedor que ofereça segurança e soluções adequadas para seu negócio.

 

Por isso, é importante contar com um provedor que comprove rigoroso padrão de segurança, por meio de certificações, e que conte com uma infraestrutura adequada.

Também é essencial que ele ofereça soluções sob medida para a sua empresa. Isso inclui, dentre outras coisas,  fornecer diferentes tipos de nuvem, para que você escolha qual o mais adequado para seu modelo de negócio.

 

Além disso, sua empresa deve contar com um provedor que possua know-how em soluções em nuvem e que ofereça atendimento 24x7x365. Assim, você contará com suporte adequado a qualquer momento, para que sua empresa não venha a sofrer com interrupções.

 

Agora você já sabe um pouco mais sobre como garantir uma recuperação de desastres eficaz para sua empresa. Se você gostou deste conteúdo, também irá gostar de saber como a nuvem pode ser uma aliada na segurança de dados. Boa leitura!

ERP na nuvem para Construção Civil: 4 motivos para adotar

engenheiro acessando erp em nuvem

engenheiro-construção-com-tablet

A maioria das empresas de construção percebeu a necessidade de  implementar um sistema ERP em sua operação. Esse software serve para gerenciar e usar seus recursos com eficiência, como capital humano, finanças, ativos, materiais e outros. Mais recentemente, a tendência é adotar uma solução de ERP na nuvem.

Pela dinamicidade da operação de Construção Civil, a opção em nuvem tem se mostrado extremamente adequada. Assim, ela agrega flexibilidade, comodidade e permite que as empresas façam um melhor uso de seus dados e trabalhem de maneira mais inteligente.

Confira a seguir os principais motivos para adotar uma solução ERP na nuvem no ramo da Construção Civil:

1. Redução de custo com ERP em Nuvem

Uma das principais ambições de toda empresa é reduzir custos para melhorar seu resultado. Como você deve saber, o investimento em solução ERP legada é muito alto e consome uma parcela significativa do CAPEX.

Além disso, com o passar do tempo, é preciso ter mais gastos significativos com atualizações e novas versões do produto.

Utilizando um ERP na nuvem, as empresas contratam planos anuais, semestrais ou mensais, que possuem impacto muito menor no orçamento. Além disso, você pode pagar por número de usuários. Isso significa uma melhor utilização dos seus recursos, caso haja aumento ou diminuição do número de colaboradores.

2. Maior eficiência com uma solução ERP na nuvem

Para gerenciar uma obra é preciso acompanhamento constante da evolução do projeto e também dos custos. Assim, é possível ter um controle maior dos materiais empregados, da previsão de entrega e atualizar o orçamento final.

Além disso, isso também impacta em fatores contábeis, visto que são esses dados que irão determinar o reconhecimento da receita e o faturamento.

Se você estiver utilizando uma solução local, será preciso realizar medições em campo, anotar em planilhas e efetuar lançamento no ERP.

Entretato, esse procedimento, além de gerar retrabalho, pode ocasionar erros e perda de informações que comprometem todo o projeto.

Com um ERP na nuvem voltado para o segmento de Construção Civil, como a solução da Globaltec, os colaboradores simplesmente inserem os dados em seus dispositivos móveis e as informações são automaticamente sincronizadas com os servidores remotos.

Ou seja, com o ERP sua empresa terá todas as informações da obra quase que em tempo real. Assim, você tem um gerenciamento muito melhor e consegue identificar os problemas assim que eles acontecem.

Saiba mais sobre a Globaltec neste link aqui.

3. Alta disponibilidade

Quando você possui um ERP legado, você possui alta dependência da infraestrutura local. Ou seja, se um servidor “cair”, provavelmente toda sua operação ficará parada até que a equipe de TI consiga identificar o problema e restabelecer os serviços.

Isso pode gerar horas de improdutividade e, acima de tudo, perda de oportunidades de negócio. Sendo assim, com a utilização do ERP em nuvem, você terá toda a garantia de disponibilidade com ambientes redundantes e com alta segurança.

Por exemplo, utilizando serviços em nuvem de um provedor bem estruturado, como a FWC, sua aplicação poderá ser distribuída em diferentes regiões e zonas de disponibilidade

Ou seja, seu ERP poderá ser executado em Data Centers diferentes, com estruturas totalmente separadas. Assim, mesmo que haja queda de um servidor, sua aplicação continuará funcionando normalmente.

infografico-erp

4. Segurança dos dados

Utilizando um ERP na nuvem, seus dados críticos ficam armazenados nos servidores do provedor de serviços em nuvem, que tendem a ser mais seguros que as infraestruturas locais de muitas empresas.

Além disso, graças ao uso de firewalls, antivírus, VPN, criptografia e outras ferramentas, os provedores conseguem oferecer um ótimo nível de segurança para os seus dados.

Agora você já sabe porque o ERP na nuvem é ideal para as empresas de Construção Civil. Se você gostou deste conteúdo também irá gostar de conhecer o case de sucesso da construtora TIISA e descobrir como a parceria com a FWC proporcionou significativas reduções de custos. Boa leitura!