FWC Group

6 maneiras efetivas de garantir a segurança na nuvem

tela de segurança na nuvem
tela de segurança

À medida que as empresas transferem suas aplicações e seus dados para Cloud, os executivos precisam enfrentar uma tarefa difícil. Equilibrar os benefícios dos ganhos de produtividade em relação a preocupações significativas sobre conformidade e segurança na nuvem são algumas delas.

O desafio é ainda maior, visto que a segurança na nuvem não é igual a de um data center corporativo. Por isso, regras e pensamentos diferentes devem ser aplicados para garantir uma infraestrutura sobre a qual não se tem controle físico real.

A seguir, serão abordadas algumas das melhores práticas que podem ajudar sua empresa a melhor proteger os seus dados. Além de mitigar perdas e custos. Confira!

1. estratégia de segurança na nuvem

Para garantir a proteção dos dados, sua empresa precisa adotar uma estratégia de segurança de ponta a ponta. Isso requer, primeiramente, uma visão detalhada da sua rede. Além disso, é importante avaliar com o provedor quais aspectos da segurança estão no seu domínio e onde você é responsável.

Além disso, na construção de suas redes, a empresa deve identificar, abordar riscos, fraquezas e monitorar e testar continuamente sua infraestrutura.

2. Faça a transmissão de dados via VPN

Essencialmente, VPN (ou Rede Privada Virtual) é uma tecnologia que permite que você configure uma conexão segura com outra rede remota. Ou seja, é uma forma de garantir um canal de transmissão confiável entre sua empresa e o prestador de serviços.

Além disso, quando você utiliza VPN, toda interação com os servidores do seu provedor são criptografadas, garantindo o sigilo das informações.

3. ferramentas de segurança na nuvem

Você deve utilizar diferentes ferramentas para garantir o controle de acesso aos seus dados. por isso, dentre as soluções de segurança imprescindíveis, destacam-se o firewall e o antivírus.

O firewall analisa o tráfego e estabelece quais são as ações de dados que podem ser realizadas em seu ambiente. Ela é uma barreira de proteção que bloqueia o acesso de conteúdo malicioso, mas sem impedir que continuem fluindo.

O antivírus funciona como uma rede que identifica e captura arquivos maliciosos, fazendo filtro do que não é nocivo ao computador. Ele possui vários métodos de identificação desses vírus, incluindo atualização automática, escaneamento e outros meios para que haja um bloqueio.

segurança-na-nuvem
segurança-na-nuvem

4. Implemente controles internos para a segurança

A segurança da infraestrutura de nuvem é tão forte quanto seu elo mais fraco. Muitas vezes, os usuários são os principais responsáveis por falhas de segurança, seja por uso indevido ou por má fé.

Por isso, é importante que conte com suporte adequado para que seus colaboradores possam sempre recorrer em caso de dúvidas. Adicionalmente, realizar treinamentos contínuos das ferramentas utilizadas e as melhores práticas no uso dos recursos também ajudam a garantir a segurança.

Além disso, é importante que você defina de antemão o privilégio de acesso de cada usuário. Assim, eles terão contato somente com os dados que lhe são pertinentes.

Da mesma forma, é importante revogar credenciais de acesso de ex-funcionários, garantindo que as chaves de criptografia não possam ser acessadas.

5. Faça backup para garantir segurança na nuvem

Realizar o backup de seu Database é mandatório para garantir a segurança na nuvem. Esse procedimento consiste em realizar cópias de segurança das camadas de banco de dados, arquivos e aplicações. Assim, devem ser armazenadas em um ambiente virtual separado.

Dessa forma, se algo acontecer com o seu servidor em nuvem, você ainda contará com uma réplica de seus dados. Posteriormente, poderão ser restaurados rapidamente para garantir a continuidade da operação da sua empresa.

Acesse também:

6. Encontre o provedor certo

Finalmente, para garantir a segurança na nuvem, você precisa encontrar o provedor adequado, que ofereçam soluções de acordo com sua necessidade. Além disso, precisam atender a todos os requisitos de segurança citados anteriormente.

Obviamente, há pontos que devem ser solucionados na sua empresa, mas é essencial contar com um provedor que atue como parceiro. Atender suas necessidades e fornecer soluções que levem em consideração a infraestrutura da sua empresa são alguns pontos à serem considerados.

Para isso, eles precisam entender as suas necessidades e que forneça soluções que levem em consideração a infraestrutura de sua empresa.

O seu provedor deve possuir expertise em proteção de dados e oferecer soluções de segurança como Antivírus, Firewall, VPN e Backup!

Descubra abaixo as Diferença de On Premise x Cloud x Cloud Gerenciada!

segurança na nuvem
Diferenças de On Premise, Cloud e Cloud Gerenciada

Descubra também a importância do monitoramento de banco de dados. Clique aqui e boa leitura!

Ambiente dedicado x cloud compartilhada: afinal, qual o melhor?

base-de-homologação

Não restam mais dúvidas quanto aos benefícios das soluções baseadas em nuvem. Grande parte das empresas, de diferentes portes e setores, já conta com algum tipo de aplicação que utiliza essa tecnologia. No entanto, ainda há muitas discussões sobre qual o modelo ideal para cada tipo de empresa. Na maioria das vezes, esses questionamentos giram em torno do ambiente dedicado e da cloud compartilhada.

Mas, afinal, qual dentre eles é melhor? Evidentemente, isso vai depender da forma como esses recursos serão utilizados. No entanto, há alguns pontos chaves de comparação que podem ajudá-lo a identificar qual a melhor solução para o seu negócio. Confira a seguir!

1. Controle sobre a plataforma

Esse é um dos principais quesitos de diferenciação entre os tipos de nuvem. No ambiente dedicado, sua equipe de TI pode gerenciar com eficiência a plataforma e fazer alterações quando necessário.

Isso, porque, a administração é responsabilidade da empresa contratante e não do provedor de serviços, como acontece no ambiente dedicado.

Assim, sua equipe de TI pode prever e trabalhar para evitar fatores como tempo de inatividade, gargalos na entrega de serviços, entre outros. Você também tem mais liberdade para ajustar melhor o uso de recursos às necessidades da empresa.

Resumindo, no ambiente dedicado, sua empresa tem a capacidade de controlar totalmente o armazenamento em nuvem e a largura de banda, personalizar ambientes ou ajustar configurações de segurança.

2. Desempenho do ambiente

Na cloud compartilhada, como os servidores são acessados por diferentes empresas, pode ocorrer lentidão em momentos em que houver muitos acessos simultâneos. Isso acaba, por vezes, comprometendo o desempenho de aplicações que necessitam de muita largura de banda, como é o caso do banco de dados.

No ambiente dedicado, por outro lado, você conta com conexões e servidores exclusivos para sua empresa. Dessa forma, é possível garantir um melhor desempenho das aplicações 100% do tempo.

Além disso, os recursos disponíveis podem ser distribuídos em tempo real, dependendo do fluxo de trabalho. Ou seja, em todos os momentos, as aplicações críticas serão garantidas em sua operação.

3. Customização do ambiente

O ambiente dedicado conta com muito mais possibilidades de customização quando comparado à cloud compartilhada. Isso permite que as empresas consigam garantir uma melhor experiência dos usuários, fator que contribui significativamente para o aumento da produtividade.

Essa maior flexibilidade faz com que a empresa consiga projetar melhor suas soluções em nuvem, visando a obter os melhores resultados para o seu negócio.

Além disso, no ambiente dedicado, a solução em nuvem é baseada nos próprios recursos da empresa. Dessa forma, a personalização pode ser utilizada para extrair o máximo de desempenho possível da arquitetura já existente.

Não deixe de baixar gratuitamente o nosso ebook sobre mitos e verdades sobre a nuvem:

ambiente-dedicado-compartilhado

4. Maior controle sobre seus dados

Como vimos, ao utilizar uma nuvem compartilhada, o gerenciamento dos seus dados passa a ser feito pelo provedor de solução em nuvem. Por outro lado, no ambiente dedicado, essa responsabilidade fica a cargo da sua empresa.

Assim, sua equipe de TI pode construir uma plataforma que esteja em conformidade com as leis relevantes e os regulamentos do setor com base em seus objetivos de negócios.

Seja ambiente dedicado ou cloud compartilhada, escolha um provedor confiável

Como vimos, o ambiente dedicado apresenta inúmeras vantagens. No entanto, dependendo de sua estratégia, pode ser mais interessante contar com uma solução de cloud compartilhada. Independentemente de sua opção, é importante contar com um provedor com know how que possa ajudá-lo a fazer a melhor escolha, a executar a migração e que ofereça SLA e suporte adequados ao seu negócio.

Se você gostou deste conteúdo, também vai gostar de conhecer as 4 maiores tendência em Cloud Computing até 2025. Tenha uma ótima leitura!

5 dicas de inovação em gestão de TI essenciais para sua empresa

acesso para gestão de ti
gestao-de-ti

Os gerentes de TI de hoje precisam fazer mais do que apenas ajudar a reduzir os custos de suas empresas. A tecnologia da informação é cada vez mais o motor que impulsiona a transformação, aumentando o valor de produtos e serviços. A inovação na gestão de TI é, portanto, uma necessidade e um posicionamento estratégico na condução dos negócios.

A inovação é importante, em suma, porque permite que uma empresa mantenha a competitividade no futuro. Mas, não é só isso. Confira a seguir outros 5 motivos para apostar nessa estratégia!

1. Sua empresa preparada para crescer

Escalabilidade é a palavra de ordem no mundo dos negócios. Diante da dinamicidade das operações, as empresas precisam estar preparadas para mudanças repentinas em sua carga de trabalho.

Além disso, respostas rápidas são necessárias, ou seja, qualquer minuto de inatividade ou lentidão pode significar a perda de muitas vendas.

Nesse sentido, a tecnologia cloud computing é indispensável para empresas que desejam contar com soluções escaláveis e estar preparadas para mudanças. Não se trata apenas de software como serviço (SaaS), infraestrutura como serviço (IaaS) e plataforma como serviço (PaaS).

Estas soluções, obviamente, são facilitadoras rápidas e relativamente baratas para o crescimento corporativo. No entanto, um dos principais ganhos da nuvem é permitir que grupos de TI atendam a empresa de maneira estratégica.

gestão-de-ti

2. Aumento da produtividade com gestão de ti

Se sua equipe de TI está atolada e luta para dar conta das tarefas, é hora de ser mais produtivos. E isso, na grande maioria dos casos, só é possível com o auxílio da tecnologia.

Investir em automatização de processos é uma forma eficiente de reduzir a carga de trabalho manual e, consequentemente, aumentar a produtividade.

Por isso, é importante entender os fluxos de trabalho, identificar pontos de melhoria e buscar soluções que ajudará melhorar os processos.

3. Criação de uma infraestrutura hiperconvergente

Hiperconvergência é uma estrutura de TI que combina armazenamento, computação e rede em um único sistema. Ou seja,  em um esforço para reduzir a complexidade do data center e aumentar a escalabilidade.

As plataformas com hiperconvergência incluem um hypervisor para computação virtualizada, armazenamento definido por software e rede virtualizada. Assim, normalmente são executados em servidores padronizados e prontos para uso.

Contar com parceiros especializados que ofereça ferramentas de gerenciamento e virtualização é essencial no processo de inovação na gestão de TI. Isso ajuda a criar uma infraestrutura projetada para ser mais flexível e mais simples do que a utilizada no modelo corporativo tradicional.

4. Alta disponibilidade, desempenho e segurança na gestão de ti

Esses são os três pilares de sustentação dos negócios na era digital. Por isso, a inovação na gestão de TI deve estar focada nesse propósito.

Dessa forma, é preciso contar com uma infraestrutura flexível que suporte a incorporação de novas ferramentas.

Acima de tudo, para que a empresa consiga responder de forma tempestiva às mudanças que ocorrem nos negócios.

Além disso, é preciso contar com profissionais que ajudem a identificar às necessidades da empresa e proponham soluções para o problema.

gestão-de-ti

5. Criação da cultura da inovação na gestão de TI

Para que a inovação tenha sucesso, a cultura deve mudar para acomodar o risco e a incerteza que acompanham esse processo.

Por exemplo, várias alavancas importantes podem ajudá-lo nesse propósito, incluindo o comprometimento da alta administração, comunicação eficiente, treinamento e métricas.

No entanto, é importante envolver todas as equipes nesse processo. Um estudo da PWC realizado em 44 países demonstrou que 60% das inovações nos negócios foram baseadas em iniciativas dos colaboradores.

Isso demonstra a importância de agregar a inovação ao DNA da empresa e oferecer ferramentas capazes de estimular ideias inovadoras.

Agora você já sabe porque a inovação na gestão de TI é essencial para manter sua empresa mais lucrativa e competitiva.

Se você gostou desse texto, também irá gostar de como a experiência do seu cliente  influencia no sucesso da sua empresa. Tenha uma boa leitura!

Passo a passo para uma migração para a nuvem sem esforço

migração
migração_nuvem

Atualmente, o sucesso de quase todos os empreendimentos comerciais está ligado à tecnologia. À medida que uma empresa cresce e se expande, o mesmo acontece com as necessidades de infraestrutura de TI. Nesse sentido, a migração para nuvem é uma estratégia essencial, ela permite que os negócios respondam rapidamente  às necessidade de mudança. Além disso, garante outros benefícios, como segurança dos dados, escalabilidade e flexibilidade.

No entanto, o processo de migração, quando não efetuado de maneira correta, pode ser trabalhoso e gerar muitos contratempos. Por isso, é preciso contar com o auxílio de profissionais experientes e capacitados para que tudo ocorra como planejado.

Assim, é perfeitamente possível efetuar a migração para nuvem sem esforço e o passo a passo para isso você confere a seguir!

1. Prepare-se para a migração

Em primeiro lugar, você precisa se preparar para isso. Para isso, o nível de detalhes da preparação depende do seu negócio, mas existem alguns passos básicos que você deve seguir.

Primeiro, você deve ter clareza sobre os motivos pelos quais está efetuando a migração. A nuvem oferece muitos benefícios, mas você deve ter em mente quais são os mais importantes para sua empresa. Consequentemente, isso ajudará você a tomar outras decisões essenciais, tais como escolher a nuvem certa para o seu negócio, o melhor provedor de serviços e definir o que será migrado.

Além disso, você também precisa avaliar sua infraestrutura de TI existente, os aplicativos que você usa, os recursos, os custos e outros detalhes. Ou seja, uma análise completa ajuda você a identificar como migrar as aplicações e otimizá-las para melhor eficiência.

2. Escolha o parceiro de nuvem correto

Por mais que você tenha uma equipe que possua conhecimento técnico sobre computação em nuvem, dificilmente eles possuirão experiência no processo de migração. Por isso, é necessário selecionar um parceiro que ajude você a extrair o melhor da nuvem e a concluir a migração sem esforço.

Uma das coisas que você deve procurar em um parceiro é sua experiência anterior em projetos semelhantes com clientes que sejam comparáveis ​​em tamanho e/ou setor. Assim, também é essencial verificar se ele possui parcerias com grandes provedores de soluções em nuvem, como Oracle e Amazon Web Services, além de uma equipe certificada.

3. Selecione o ambiente da nuvem e determine a arquitetura

Depois que você escolher a equipe que irá ajudá-lo na migração para a nuvem, é hora de identificar o ambiente de nuvem que ajudará você a atingir suas metas.

A primeira decisão que você precisa tomar é qual tipo de nuvem é adequado para seus aplicativos. Depois, você precisará determinar a arquitetura necessária para a migração. Para isso, anote os aplicativos que você migrará e determine os recursos necessários.

Pense nas necessidades de armazenamento, poder de computação, entrega de conteúdo, etc.

4. Selecione o provedor de nuvem correto

Depois de identificar a arquitetura, você precisa selecionar o provedor de nuvem que atenda a suas necessidades. Para isso, você precisa olhar para fatores, como o SLA prometido, pronto atendimento ao cliente, suporte, ferramentas de gerenciamento, segurança oferecida, etc.

5. Determine os padrões de migração para a nuvem

Agora que você tem tudo pronto para a migração, o próximo passo é planejar como isso ocorrerá. É importante que o plano leve em consideração os seguintes pontos:

    • Tempo mínimo de interrupção;
    • Ordem de migração de aplicativos;
    • Prazos e acompanhamento das principais métricas para definir se a migração foi bem-sucedida;
  • Mudanças nos processos do usuário final devido à migração e qualquer treinamento necessário.

6. Migração de alguns dados para teste

Antes de uma migração definitiva, é importante que sejam feitos testes para garantir que o processo será bem-sucedido. Isso envolve a migração de alguns dados e/ou aplicações.

Depois, o ambiente é liberado para testes, onde são avaliadas a performance e as funcionalidades do ambiente Cloud. Por isso, é recomendável que algum funcionário da sua empresa participe ativamente dessa etapa, para garantir a melhor experiência do usuário possível após a migração para a nuvem. É nesse momento que são identificadas melhorias e necessidades de customização do ambiente.

Após concluir os passos de configuração e testes, é necessário deixar definido a política de monitoramento e de Backup. Assim a sua empresa já estará preparada para a migração. Depois é só agendar uma data e horário para que o processo não interfira no seu negócio.

migração_nuvem

7. Migração de todos os dados e aplicações

Então, depois que o ambiente foi testado e as alterações necessárias foram feitas, é hora de executar a migração de todos os dados e aplicações para a nuvem.

Primeiramente, é preciso fazer o backup de seus servidores e dados existentes para garantir que você não perca nada. Além disso, certifique-se de que seus dados estejam seguros e sejam facilmente recuperáveis.

Depois que os dados forem movidos, você precisará garantir que tudo está funcionando conforme o esperado.

8. Monitore

Em conclusão, depois que sua migração para a nuvem for concluída com êxito, é importante implementar o monitoramento para ajudar a identificar e corrigir quaisquer problemas que possam surgir no ambiente de nuvem.

Agora você já sabe como migrar seus dados para a nuvem sem esforço. Se você gostou desse conteúdo, também irá gostar de conhecer as 4 maiores tendências de Cloud Computing até 2025. Tenha uma boa leitura!

Redução de custos em TI : como a nuvem pode ser uma aliada?

redução-custos-nuvem

redução-de-custos

 

Buscar soluções para a redução de custos em TI é uma tarefa constante para grande parte das empresas. Sempre que possível, um novo serviço é contratado para a substituição daquele que deixou de ser vantajoso.

 

A Cloud Computing vem sendo adotada por diversas organizações como uma opção com melhor custo-benefício, pois não oferece vantagens apenas econômicas. Neste artigo, mostraremos como é possível ter redução de custos em TI com a Cloud Computing.

 

O que é computação em nuvem?

A Cloud Computing é um serviço de armazenamento remoto. As informações são salvas em servidores que não estão em um ou diversos Data Centers de provedores que podem ser acessados por meio de internet, login e senha.

 

O serviço é vendido sob demanda, de acordo com a necessidade da empresa. Dessa forma, é preciso pagar uma mensalidade para poder utilizá-lo.

 

Diferentemente dos servidores físicos, a solução em Cloud Computing não exige que a empresa tenha um espaço físico para armazenar suas informações. 

 

Quais são os benefícios que a nuvem oferece para as empresas?

A Cloud Computing oferece uma série de benefícios para a empresa. Entre os principais, podemos citar:

 

Flexibilidade

A Cloud Computing permite que a infraestrutura de tecnologia seja alterada quando for necessário, com poucos processos e mão de obra. A empresa pode aumentar ou diminuir seus recursos de acordo com a sua necessidade. O benefício favorece, principalmente, as empresas que tem picos de vendas ou movimentos sazonais.

 

Produtividade

 

A Cloud proporciona uma maior integração entre as equipes, ou seja, contribuir para uma melhora nos índices de produtividade da empresa. Dessa forma, o ambiente de trabalho é otimizado, com alto nível de colaboração, gestores reduzem conflitos, otimizam a performance de seus times e a capacidade da equipe de atender às suas métricas internas.

 

Além disso, a rotina se torna mais ágil, simplificada, ganha-se em mobilidade, pois as aplicações estarão em um ambiente acessível via web. Assim, os profissionais conseguirão atuar com alta performance evitando erros e tendo como base dados precisos. 

 

Segurança

 

A empresa atua com mais segurança, pois sua infraestrutura estará menos vulnerável a ataques, perdas e falhas no sistema. Assim,  não colocam as informações sensíveis da operação em risco. Com isso, há menos interrupções na produção.

 

redução-de-custos

 

Como a computação em nuvem influencia na redução de custos em TI

 

A infraestrutura física de TI é responsável por uma série de despesas fixas para a empresa. É preciso investir em equipamentos, hardwares, servidores. Assim, também aumenta os custos com energia elétrica, pois é preciso manter os ambientes ligado.

 

Isso sem falar na mão de obra, que precisa estar disponível dentro da empresa para solucionar qualquer problema ou instabilidade. A empresa também precisa destinar uma sala para montar toda a estrutura e ainda não terá garantia de que estará segura.

 

Tudo isso pode ser substituído pela Cloud Computing e a responsabilidade de manter a infraestrutura disponível, em operação, não será mais da empresa, mas do fornecedor contratado. 

 

Um estudo realizado pela IDC mostrou que o uso de nuvem em PME no Brasil é cada vez maior. Cerca de 80% das empresas preferem a solução, por causa da economia que o serviço oferece. Desse total, 10,4% aumentou suas receitas após aderirem à nuvem e registraram 77% de redução de custos de TI.

 

Os serviços em nuvem contratados, em muitos casos, são de empresas nacionais. Segundo a Asia Cloud Computing Association (ACCA), o Brasil está em 8º no ranking de países com os melhores serviços de computação em nuvem.

 

Mas na prática, como é possível ter redução de custos em TI com a computação em nuvem?

As empresas crescem e novos desafios surgem para a área de TI. A necessidade de mais equipamentos ou capacidade dos servidores é um deles. A compra desses recursos exigiria mais investimento, mas com a Cloud Computing você define o que e como quer aumentar, ou seja, somente o necessário. 

 

Mesmo que a empresa precise de mais espaço na nuvem, os custos são menores se comparados com a ampliação de uma infraestrutura física. 

 

O uso da Cloud Computing proporciona mobilidade para a empresa, pois permite o acesso a seus dados de qualquer lugar. Para isso, não é necessário investir em drives ou equipamentos de armazenamento. Tudo está salvo na nuvem.

 

A empresa também pode reduzir o seu efetivo, pois sem uma infraestrutura interna, não será necessário uma grande equipe. Além disso, sempre que houver uma instabilidade, a responsabilidade de resolver o problema é do fornecedor. E isso já está incluso no pacote do serviço. 

 

A redução de custos em TI é uma meta que as empresas almejam alcançar e que será possível com a Cloud Computing. Se você gostou desse conteúdo também vai se interessar pelo Case de Sucesso da Tiisa. Veja como a empresa alcançou a redução de custos em TI

FWC apresenta sua nova identidade visual

FWC
nova-identidade-visual

A FWC, empresa provedora de soluções em TI, anuncia sua nova identidade visual. Depois de 11 anos, chegou a hora da evolução. O design foi totalmente repaginado para atender os conceitos e visões atuais da empresa enfatizando o grande crescimento que vem apresentando nesses últimos anos.

A empresa possui três verticais que são: Cloud Experience, Banco de Dados e Infraestrutura. A Cloud Experience possui esse nome, pois oferece muito além de apenas uma Cloud. Ou seja, conta com monitoramento, atendimento 24x7x365 e toda a infraestrutura que garante uma experiência completa para o cliente.

Nova comunicação veio para somar valores ao nome FWC

A nova comunicação criada veio para somar valores ao nome FWC. Com objetivo de ser lembrada pelo consumidor quando o assunto for soluções em TI. Por isso, o novo slogan representa justamente isso – Inteligência e gestão em TI, além disso, enfatiza o know-how da FWC.

Para a criação da nova marca foi utilizado a forma de um círculo, representando a gestão 720°. Assim, evidenciando a experiência e a realidade do cliente, englobando o atendimento completo. Esse atendimento visa a alta performance, monitoramento e segurança a todos os serviços prestados.

Com a nova marca transmite-se tecnologia, serviços de Cloud, agilidade, fluxo, mobilidade e ao mesmo tempo, simplicidade nos processos. Como toda a identidade visual foi renovada, também foi agregado elementos com traços simples e marcantes. Assim, trouxeram a nuvem, o cilindro e o hexágono para representar as verticais Cloud Experience, Banco de Dados e Infra, respectivamente.

Segundo Alan Tasca, Coordenador de Marketing e do Planejamento Estratégico de Vendas da FWC, “O círculo da nova marca é associado ao movimento, mostrando o caminho que a FWC pode levar o usuário. Além disso, a nossa gestão, onde chamamos de gestão 720, contemplando todos nossos diferenciais”, conclui Alan.

De acordo com o Diretor de Negócios da FWC, Marco Duarte “Quando nós implantamos o conceito 720° nós mostramos o lado humano muito forte que a FWC possui. Porque aqui o cliente não é apenas um ticket. Nós temos uma preocupação muito grande com toda experiência dele”.

Assista abaixo o vídeo em que o Alan e o Marco explicam o conceito da marca e do 720°.

Experiência do cliente: qual a sua influência no sucesso da empresa?

experiencia-do-cliente

 

A forma com que os consumidores escolhem por determinado produto ou serviço mudou. A qualidade e o preço deixaram de ser os fatores de decisão principais em uma compra ou contratação. Não são mais diferenciais competitivos, mas sim itens básicos para qualquer negociação.

 

Os clientes estão buscando por experiências que vão agregar em sua vida. Ou seja, precisa proporcionar melhores resultados para negócios, não mais de forma pontual, mas sim em médio e longo prazo. A experiência que o cliente tem com a empresa vai determinar se um relacionamento entre ambos será construído.

 

Neste artigo, mostraremos como a experiência do cliente é fundamental para os negócios, como influencia no sucesso da sua empresa. Confira!

 

Qual a relação da tecnologia com a experiência do usuário

 

O mundo está conectado e permitindo que as relações, entre clientes e empresas sejam mais próximas. A dúvida sobre uma especificação de produto, por exemplo, pode ser facilmente solucionada com uma pesquisa na internet. Encontrar uma solução econômica para resolver um problema também está mais fácil.

 

Com tantas possibilidades, as empresas não podem correr o risco de sofrer instabilidades em seu servidor ou até perder suas informações. O conteúdo deve estar sempre acessível, tanto internamente, quanto para os clientes.

 

A tecnologia se faz necessária, pois garante a comunicação entre a marca e o cliente, captura informações, filtra e entrega resultados. Tudo isso para que a empresa possa desenvolver soluções mais efetivas e interessantes para o seu público.

 

Além disso, os clientes buscam alternativas personalizadas que atendam suas necessidades. Para isso, só a tecnologia é capaz de identificá-las e oferecer meios para atendê-las.

 

Experiência do cliente é prioridade entre as empresas

De acordo com a Gartner, em 2015, a experiência do cliente se tornou prioridade número um para as empresas. Hoje em dia, os clientes podem acessar e encontrar qualquer coisa que quiserem na internet. Por isso, proporcionar uma boa experiência tem sido um grande desafio.

 

Vencer essa batalha e alcançar bons resultados será possível se a empresa contar com parceiros especializados e atentos às necessidades tecnológicas.

 

1. Cooperação em toda organização

A cooperação entre as equipes da empresa será possível apenas quando todos estiverem conectados. Porém a falta de integração entre as ferramentas dificulta o processo.

 

Os servidores físicos limitam esse tipo de relação, pois a comunicação de dados depende de uma rede física. Ao contrário da cloud computing, onde as informações são armazenadas e acessadas a qualquer momento e em qualquer dispositivo.

 

experiencia-do-cliente

 

2. Ganho de tempo no atendimento

O atendimento ao cliente e as vendas são prejudicadas quando precisa passar por diferentes etapas até localizar uma informação. Os clientes querem um atendimento ágil e eficiente.

 

As informações devem estar posicionadas de forma estratégica, permitindo que sejam facilmente acessadas durante o atendimento. Por exemplo, imagine ter que se deslocar entre os computadores para encontrar uma tabela. Ou em outro caso, esperar o e-mail de outro funcionário com um orçamento, enquanto o cliente aguarda na linha.

 

3. Garantia na execução de serviços

A desconexão e instabilidade no serviço, bem como um alto volume de chamadas, prejudicam o atendimento ao cliente. A solução é contar com tecnologias que garantam a continuidade do serviço, evitando que qualquer falha de sistema impossibilite o atendimento.

 

4. Visão holística do negócio

As soluções em nuvem oferecem uma visão holística para a empresa. Enquanto as equipes de vendas atendem os clientes, a equipe de serviços deve garantir a execução do atendimento.

 

Automação de vendas, o gerenciamento da solicitação de serviço e o autoatendimento devem estar conectados para proporcionar a melhor experiência ao cliente.

 

5. Facilita a rotina da empresa

As soluções em cloud são personalizadas de acordo com as necessidades da empresa. As características do negócio são avaliadas para que o serviço solucione seus problemas operacionais e facilitem a rotina. Dessa forma, os profissionais podem se dedicar mais em oferecer a melhor experiência ao seu público.

 

A FWC oferece serviços para facilitar a gestão dentro da sua empresa e te ajudar a proporcionar a melhor experiência para o seu cliente. Encontre a melhor solução para o seu negócio

Monitoramento de banco de dados: qual importância para a eficiência da sua empresa?

monitoramento-bando-de-dados

monitoramento-bando-de-dados

 

O monitoramento de banco de dados é o acompanhamento da disponibilidade, funcionalidade e do desempenho dos recursos do database. Assim, esse procedimento visa criar e manter uma infraestrutura de aplicações eficazes e altamente disponíveis para o usuário final. Com isso, as empresas ganham maior eficiência, além de reduzir custos.

 

Os bancos de dados são a base do funcionamento dos negócios. Por isso, representam um dos sistemas mais críticos de muitas empresas. Atualmente, a complexidade das aplicações está aumentando e as infraestruturas de TI estão se tornando muito mais diversificadas, mesclando serviços locais e em nuvem.

 

Com aplicações complexas trabalhando em infraestruturas heterogêneas, o monitoramento de banco de dados possibilita a identificação de problemas de maneira rápida e precisa. Assim, esse procedimento ajuda a equipe de TI solucionar incidentes antes que eles afetem os usuários finais. Saiba mais a seguir!

 

A importância do monitoramento de banco de dados

Atualmente, quase todas as atividades desempenhadas nas empresas dependem de uma aplicação da TI. Por isso, quando o banco de dados não funciona como esperado, isso afeta diretamente o desempenho de quase todas as áreas. Além disso, quando os problemas não são solucionados rapidamente, a inatividade de diversas operações resulta em perda de receita e menor produtividade.

 

Ademais, muitas empresas oferecem serviços on-line a seus clientes, que dependem do bom funcionamento do banco de dados. Dessa forma, um desempenho eficiente do Database também impacta diretamente no nível de satisfação do cliente.

 

Assim, os serviços de monitoramento de banco de dados permitem acompanhar o desempenho das aplicações e fornecem informações abrangentes. Dessa forma, é possível determinar os procedimentos necessários que podem ser efetuados antes que ocorra uma falha nas operações vitais do negócio.

 

Dicas para um projeto de monitoramento de banco de dados

O esboço a seguir é uma lista de itens a serem considerados ao se implementar um sistema de monitoramento de banco de dados:

 

Como monitorar?

  • Utilize uma ferramenta de monitoramento que conte com um sistema de alertas sobre problemas de desempenho ou disponibilidade para componentes do banco de dados;
  • Correlacione os problemas do Database com as métricas de resposta do usuário final para uma avaliação precisa do desempenho;
  • Gere relatórios abrangentes, com base no histórico de desempenho, para avaliar problemas de utilização e capacidade e elaborar estratégias de melhorias.

O que constitui um problema?

  • Ficar sem recursos essenciais que o banco de dados precisa para executar corretamente (CPU, memória, armazenamento, tráfego, etc.);
  • Alarmes ou alertas gerados pelo banco de dados;
  • Incapacidade de acessar o banco de dados;
  • Baixo desempenho e tempo de resposta;
  • KPIs que excedem os valores limite;

O que você deve fazer quando um problema é identificado?

  • Priorizar e encaminhar alertas de alta gravidade com mensagens de texto ou alertas por e-mail, SMS, telegram e etc.
  • Para problemas recorrentes, criar notas detalhadas no alerta para acelerar a resolução.

Quais são os benefícios do monitoramento de banco de dados?

  • Reduz o tempo e os recursos necessários para suportar bancos de dados;
  • Melhora o desempenho do usuário final;
  • Melhora o planejamento de capacidade, determinando se os problemas podem ser resolvidos com a atualização de configurações;
  • Além de solucionar problemas de desempenho de maneira proativa antes que eles sejam percebidos pelos usuários finais.

Conheça o FWC Monitor

monitoramento-banco-de-dados

 

O FWC Monitor é uma ferramenta de monitoramento e análise, na qual é possível verificar, em tempo real, qualquer modificação anormal nos processos do ambiente ou somente do seu banco de dados. Assim, é possível indicar a indisponibilidade de um sistema ou baixa performance nos serviços. Além disso, ele é capaz de identificar riscos e problemas pontuais de forma antecipada, agilizando a recuperação do funcionamento normal do ambiente.

 

Com isso, essa ferramenta também proporciona o envio do histórico de dados sobre o funcionamento do ambiente. Além disso, essas informações auxiliam no desenvolvimento de melhorias, ajustes e upgrades de forma racional. Ademais, o cliente consegue visualizar e acompanhar todas as métricas do ambiente.

 

O FWC Monitor já vem integrado para sua utilização. Por isso, é acessível via web e possui um layout intuitivo e elegante. Ou seja, tudo isso para uma melhor visualização das métricas, facilitando a navegação e garantindo uma experiência única para você.

 

Funcionamento do FWC Monitor

Os dados são coletados dos servidores em tempo real. Por isso, em cada um desses equipamentos existem agentes que enviam os dados coletados para uma base central. Posteriormente, o FWC Monitor retira a informações para compor os gráficos de controle.

 

Assim, as informações servem para monitoramento do desempenho do processador, memória, discos, tráfego de rede e do banco de dados. Com isso, é possível obter os seguintes benefícios:

 

    • Detecção e registros de incidentes;
    • Aumento de disponibilidade dos recursos de TI;
    • Diagnóstico em tempo real de servidores;
    • Visualização em dashboard acessível de qualquer lugar;
    • Histórico de desempenho;
  • Além disso, envio de dados para auxílio na investigação ativa ou proativa.

A FWC oferece soluções completas em Database para o seu negócio. Clique aqui para conhecê-las.

Nuvem certa: como escolher a melhor para sua empresa

nuvem-certa

 

O uso de tecnologias baseadas em cloud tornou-se uma necessidade para todas as empresas, sejam de grande porte ou mesmo startups em virtude de seus grandes benefícios. Este mercado está se expandindo em um ritmo rápido. Dessa forma, atualmente, você conta com diversas opções disponíveis e, por isso, escolher a nuvem certa tornou-se uma tarefa complicada.

 

Pode ser realmente desafiador, especialmente, para empresários sem muito conhecimento técnico sobre o tema, encontrar a melhor solução para a estratégia da empresa. O processo de seleção de uma nuvem pode ser complicado, principalmente, pelo fato de não haver um esquema comum para avaliar fornecedores e ofertas, pois todos eles oferecem recursos específicos e cada organização tem necessidades próprias.

 

Antes de você conhecer alguns critérios, que podem ser utilizados para escolher a nuvem certa, conheça os tipos disponíveis atualmente:

 

Tipos de nuvem

Nuvem privada

Também conhecida como nuvem interna ou corporativa, trata-se de um modelo no qual a infraestrutura da nuvem é dedicada a um único cliente ou empresa. Ela pode ser hospedada localmente, utilizando o data center da empresa, ou externamente, caso a empresa contrate um provedor de serviços e armazenamento.

 

Por possuir uma infraestrutura dedicada, esse modelo de nuvem oferece alta escalabilidade, performance e segurança. As nuvens privadas funcionam bem diante de mudanças de modelos de negócios e necessidades imprevisíveis, uma vez que a solução é customizada de acordo com o projeto do cliente.

 

Nuvem pública

O principal diferencial entre nuvens públicas e privadas é que, na pública, seus dados são armazenados no data center do provedor de serviços e hospedagem, o qual é responsável por todo gerenciamento e manutenção do sistema.

 

Esse modelo é atraente para muitas empresas porque costuma ser mais barato e reduz os tempos de espera no teste e na implantação de novos produtos.

 

É comum que haja preocupações com a segurança de nuvem pública, visto que a infraestrutura é compartilhada com outros clientes. No entanto, é importante ressaltar que todos os dados permanecem separados e são acessados somente por quem possui permissão. Vale lembrar que, quando implementada corretamente, a nuvem pública é tão segura quanto a nuvem privada. Basta que o provedor utilize os métodos de segurança adequados.

 

Nuvem híbrida

Combina os melhores recursos das duas opções mencionadas acima. Este modelo consiste em várias nuvens privadas e públicas, onde a empresa pode intercalar suas cargas de trabalho entre elas. Com isso, é possível alcançar o máximo de flexibilidade e maior agilidade no acesso aos dados.

 

Nesse modelo, a nuvem pública se torna efetivamente uma extensão da nuvem privada para formar uma nuvem única e uniforme.

 

Critérios para escolher a nuvem certa

nuvem-certa

 

Atualmente, existem vários recursos importantes que devem ser considerados para entender qual nuvem você deve escolher. No entanto, você terá condições de fazer uma decisão mais acertada se levar em consideração três critérios:

 

1. Suas necessidades empresariais

O primeiro passo é determinar as necessidades específicas do seu negócio. Para fazer isso, você deve considerar os seguintes pontos:

 

  • O tipo de dados que será armazenado: O que você irá hospedar na nuvem? A resposta desta pergunta irá ajudá-lo muito a escolher a nuvem certa. Pense a longo prazo e analise as várias opções disponíveis para sua empresa. Você pode, por exemplo, migrar seu ERP para cloud.
  • O número de dispositivos que irão se conectar: examine o tamanho do seu negócio e a escalabilidade do serviço. A ambição de todo empresário é ver sua empresa crescer. Então, o serviço contratado deve atender a esse propósito.
  • O orçamento: existem provedores que são especialistas em fornecer soluções para micro, pequenas e médias empresas.  Logo, seus preços são mais acessíveis do que os de empresas líderes no mercado.

2. Recursos da nuvem

Quando você tiver decidido qual a nuvem certa para sua empresa, verifique se os principais recursos satisfazem seus requisitos de negócios em relação aos seguintes itens:

 

  • Segurança;
  • Gerenciabilidade;
  • Apoio e suporte;
  • Custo.

Como você vê, esses critérios são interdependentes. Para escolher a nuvem certa, você precisa entender quais deles são mais relevantes para o seu negócio.

 

3. Gestão dos serviços

Além de optar pela nuvem certa, você também precisará contratar um provedor de soluções, independentemente de qual arquitetura escolhida. É outra escolha muito importante, pois determinará se sua empresa utilizará a Cloud da forma mais eficaz. Por isso, é especialmente importante analisar alguns itens, tais como:

 

  • Segurança: verifique se o provedor oferece serviços de backups diários, se seus dados são armazenados separadamente e ainda se ele disponibiliza acesso seguro de qualquer browser, etc. A FWC, além de oferecer tudo isso, utiliza firewall para proteger os dados. Isso garante toda segurança da rede, visto que todo tráfego de dados é monitorado. Assim, toda entrada e saída é analisada e o programa decide se bloqueia ou libera o acesso, de acordo com um conjunto de parâmetros determinados por seus especialistas em segurança. Além disso, a empresa utiliza antivírus e VPN.
  • Alta disponibilidade e escalabilidade: sua solução em nuvem deve suportar tanto o crescimento do seu negócio, como a adoção contínua de novos recursos.
  • Atendimento: contar com suporte técnico 24x7x365 é essencial para que sua empresa não venha a sofrer com paralisação da atividade.
  • Conhecimento: para contratar uma solução em nuvem certa, você precisa contar com profissionais que possuem conhecimento técnico e experiência, visto que estarão lidando com dados críticos de sua empresa.

Conheça as soluções da FWC

Com mais de 10 anos de experiência no mercado e mais de 600 clientes, a FWC oferece soluções em nuvem personalizadas, de acordo com a necessidade do seu negócio.

 

A FWC Cloud Experience disponibiliza toda infraestrutura necessária para melhorar a produtividade e a eficácia do seu negócio. Além disso, seus dados são armazenados isoladamente com backups diários, acesso aos mais avançados recursos de software e hardware, alta performance e escalabilidade. Sua empresa ainda economiza com recursos físicos, licenciamentos e conta com atendimento 24x7x365.

 

Gostou do conteúdo de hoje com dicas para a escolha da nuvem certa para a sua empresa? Ficou interessado? Então conheça nossa empresa e nossas soluções. E não deixe de baixar o material abaixo: 

Redução de custos em TI: 5 dicas essenciais

redução-de-custos

 

Devido à alta competitividade do mercado, grande parte das empresas adotam estratégias de redução de custos e de  aumento da qualidade. Entretanto, o problema é que essa meta nem sempre é possível. Ela exige um esforço muito grande por parte dos gestores para uma efetiva redução de custos em TI.

 

Esse tipo de dificuldade acontece porque reduzir custos em TI e manter a qualidade dos serviços são dois objetivos empresarial. Porém, geralmente são tratados isoladamente nas empresas. Afinal, muitos acreditam que, para se alcançar um, é preciso abrir mão do outro.

 

Por esse motivo, a redução de custos em TI acaba se tornando um objetivo difícil de ser alcançado. Todavia, algumas estratégias podem ser aplicadas para reduzir o custo de forma considerável.

 

A seguir, algumas dicas imprescindíveis para aplicar a redução de custos em TI na sua empresa: 

 

1. Faça uma auditoria de software

As licenças de software costumam ser caras, por isso uma auditoria vai ajudar a identificar qual o rendimento que cada sistema gera. Dessa forma, sua empresa poderá eliminar os sistemas que exigem um alto investimento e que não condizem com o retorno esperado.

 

2. Avalie a produtividade da equipe

Em tempos de redução de custos tudo deve ser avaliado. Principalmente, no que diz respeito à produtividade das equipes. Por isso, é recomendável realizar análises periódicas para entender como está o fluxo de trabalho e de entrega dos colaboradores. Além disso, tente identificar quais são as causas das quedas no rendimento. 

 

Outros fatores que comprometem e causam interrupções do trabalho também devem ser levados em consideração. Entre eles: queda de energia, reinicialização de sistemas, atualização de softwares, entre outros problemas que costumam interromper as rotinas de trabalho. Assim, ter essas informações ajudará a definir as melhores estratégias para superar essas dificuldades.

 

3. Analise os fornecedores para uma efetiva redução de custos em TI

Empresas que atuam há muitos anos com o mesmo fornecedor pode ter contratos com valores altíssimos e que não são necessários. 

 

Por isso, faça uma análise dos fornecedores da empresa, quais os serviços que oferecem e se são realmente utilizados no negócio. Assim, reduzir o número de fornecedores e centralizar os serviços em menos prestadores pode ser uma solução.

 

4. Automatize os processos

Diversas atividades manuais exigem muito esforço, dedicação, atenção e tempo de um colaborador. Por isso, processos que podem ser automatizados tornam o trabalho em equipe mais estratégico e objetivo. 

 

Automatize as atividades operacionais que exigem alto grau de repetição. Assim, você vai gerar economia de tempo e custo. E ainda vai eliminar erros humanos e conquistar melhor qualidade nas entregas. 

 

Além de impactar diretamente na produtividade, quando processos são automatizados, se torna mais fácil identificar os gargalos e diagnosticar falhas.

 

5. Invista na Cloud Computing

Especialistas afirmam que a Cloud Computing pode reduzir até 25% dos custos das empresas. Para Mark Hurd, CEO da Oracle, as empresas podem economizar até US$ 300 bilhões por ano, depois que migrarem suas infraestruturas de TI para a Cloud

 

O serviço impacta especialmente em:

 

  • Despesas de manutenção e investimento com hardware e software: ao contratar a nuvem, a empresa não precisará mais investir em equipamentos que ocupam espaço e precisam ser trocados;
  • Armazenamento que por ser feito de forma remota: a empresa não terá que contar com um espaço adequado para receber os servidores;
  • Economia com o investimento e a manutenção de uma infraestrutura de TI: a empresa não terá custos com data centers, máquinas, eletricidade, ambiente adequado e segurança;
  • Manutenção de uma grande equipe de TI com profissionais exclusivamente técnicos: a responsabilidade de administrar e manter o serviço será do fornecedor. Com isso, os profissionais de TI podem se especializar em áreas mais estratégicas;
  • A produtividade terá um impacto positivo: sempre que houver qualquer instabilidade na rede da empresa, os profissionais continuarão acessando os servidores de qualquer dispositivo. 
  • Investimentos em licenças e outras despesas fixas também serão eliminados: com a Cloud Computing, a empresa paga por aquilo que utilizar. Ou seja, não precisará manter serviços e equipamentos, que não estão proporcionando escalabilidade para o negócio apenas para manter contratos. 

A Cloud  é uma solução que oferece diversos benefícios que impactam não só na redução de custos da área de TI. Mas não apenas nisso, também em diversos processos da empresa. Porém, para isso, é importante contar com fornecedores especializados no mercado.

 

Entre em contato conosco e veja todas as soluções em Cloud Computing que podemos oferecer. E não se esqueça de baixar o nosso material abaixo:

redução-de-custos